Tempo de espera na emergência.

cruzBoa parte das pessoas não sabem que existem resoluções do Conselho Federal de Medicina (CFM) que regulamentam o tempo de espera quando o paciente chega em um estabelecimento hospitalar para receber atendimento.

De acordo com o CFM, ao chegar ao hospital ou pronto socorro os pacientes de emergência devem imediatamente passar pela classificação de risco, em casos graves o atendimento deve ser imediato e em casos de menor gravidade o atendimento deve ocorrer em até 2 (duas) horas.

Nos prontos socorro e unidades de emergência (incluindo as UPA’s), os pacientes podem permanecer em atedimento apenas por 24 (vinte e quatro) horas. Após este período, se o paciente não tiver alta médica deve ser transferido ou internado fora do pronto socorro.

Se houver problemas ocasionados pela superlotação ou pela falta de vagas, o diretor técnico do hospital deve notificar o Conselho Regional de Medicina (CRM) e o gestor responsável local, para que estes encontrem uma solução para o caso. Em caso de omissão ou recusa em resolver o problema, o fato deve ser comunicado imediatamente ao Ministério Público pelo diretor técnico do hospital.

As resoluções valem igualmente para o serviço público e para o serviço privado, tendo força de lei apenas para os médicos.

De acordo com Mauro Ribeiro, relator das resoluções, em casos de falta de vaga na rede, é preciso que os gestores públicos contratem leitos privados, para não deixar o paciente sem atendimento adequado.

Espero ter ajudado.

Dúvidas podem deixar aqui que logo respondo…

Anúncios

Autor: machadoprik

Dizem que o nosso destino não está dentro de nós, que não escolhemos nossa sina. Mas a verdade é que nós temos que ser valente o bastante para escolhê-lo.

3 pensamentos