Resíduos sólidos

Resíduos sólidos, de acordo com o constante na Política Nacional de Resíduos Sólidos estabelecida pela Lei Federal 12.305/2010, são descritos como todo material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade.

Estes resíduos podem ser encontrados nos estados sólido ou semissólido, e os gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem-os inviáveis o seu descarte através de lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água.

Os resíduos, que são resultado das mais variadas atividades podem não ter utilidade para aqueles que os gera, porém podem ser utilizados por terceiros que os reincorporam em outros processos produtivos usando-os como matéria-prima secundária, por isso eles não são considerados rejeito ou lixo.

A Política Nacional de Rejeito Sólido descreve o rejeito como: “resíduos sólidos que, depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, não apresentem outra possibilidade que não a disposição final ambientalmente adequada”Em outras palavras, o lixo ou rejeito é aquilo que não se pode mais reutilizar ou  ter tratamento. 

Em processos naturais não é produzido lixo, isto porque todas as substâncias produzidas pelos seres vivos, até mesmo fezes, urina e restos de organismos mortos são “reciclados” pelos decompositores naturais, que depois de decomporem excretam substâncias minerais que são o substrato dos vegetais.

Inclusive o oxigênio produzido pela fotossíntese, é um resíduo útil para as plantas e algas, além de poder ser utilizado pelos organismos aeróbios.

Mas com a evolução constante, as altas tecnologias e a grande demanda consumista da sociedade atual, cada vez mais são produzidos resíduos sólidos. Havendo a grande necessidade de exigir transparência dos setores públicos e privados no que tange ao gerenciamento desse lixo produzido em larga escala nos dias atuais.

Há a necessidade de cumprir as políticas que propõem a prática de hábitos sustentáveis de consumo, a reciclagem e o reaproveitamento dos resíduos sólidos, assim como a destinação ambientalmente adequada dos dejetos, inclusive até o fim dos lixões, que era pra ter ocorrido em 2014, de acordo com as Políticas Nacionais de Resíduos Sólidos.

 

Anúncios

Autor: machadoprik

Dizem que o nosso destino não está dentro de nós, que não escolhemos nossa sina. Mas a verdade é que nós temos que ser valente o bastante para escolhê-lo.